Parque eólico cresce 20% no Brasil

, Economia, Mercado, Negócios
Eólico 3

Foto: Divulgação

A capacidade de operação dos parques eólicos em operação comercial no Brasil cresceu 20%, chegando a 2.211 MW. O registro é de janeiro de 2014, e maior que o mesmo período do ano anterior, de 1.841 MW. A geração das usinas cresceu 25%, 763 MW médio contra 612 MW médios em janeiro de 2013.

O Brasil está em patamar superior se comparado com os países com maior potencial de geração eólica. No início do ano a capacidade instalada foi de 35%, já em 2012 os valores médios verificados para a China, estados Unidos e Espanha por exemplo, foram de 18%, 33% e 24%, respectivamente

Os dados estão na segunda edição do Boletim das Usinas Eólicas, divulgado mensalmente pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE. O informativo revela ainda que o Nordeste foi o submercado que puxou o aumento da capacidade instalada no país, concentrando 1.461 MW provenientes de 60 usinas – e com aumento de 25,3% em relação a janeiro do ano passado. A geração média na região foi de 597 MWmédios contra 429 MW médios no início de 2013.

No submercado Sul foi registrada uma capacidade de 723MW em um universo de 29 usinas, o que representa um crescimento de 11,6% em relação ao mesmo mês do ano anterior; já o Sudeste apresentou uma única usina no mesmo intervalo de tempo, com capacidade de 28 MW. Segundo o boletim da CCEE, os estados com maior participação na geração média no período foram Ceará, Rio Grande do Norte,Rio Grande do Sul, Bahia e Santa Catarina, que totalizaram93% do total gerado.

O Boletim de Usinas Eólicas considera empreendimentos com ao menos uma unidade geradora em operação comercial e apresenta os resultados consolidados de geração, garantia física e capacidade das usinas da fonte, que comercializam energia por meio do PROINFA, nos leilões do ambiente de contratação regulada e também no mercado livre.

Lembrando que o Boletim de Usinas Eólicas não leva em consideração um total de 263 MW médios de garantia física (associados a 594 MW de capacidade instalada) de usinas do2º Leilão de Fontes Alternativas (LFA) e 149,6 MW médios (associados a 306,2 MW de capacidade instalada) de usinas do 2º e 3º Leilão de Energia de Reserva (LER) que a Agência Nacional de Energia Elétrica–Aneel considera em condições de entrar em operação comercial, mas que se encontram com restrição até a interligação efetiva dos parques ao sistema de distribuição/transmissão. Esses empreendimentos são provenientes do 2º Leilão de Fontes Alternativas e do 2º e 3º Leilão de Energia de Reserva.