Litoral piauiense receberá mais um parque de energia eólica

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Parnaíba deve receber mais um Parque Eólico para produção de energia limpa e renovável. A empresa Omega Energia, responsável por instalar três parques na Pedra do Sal (345 km de Teresina), se prepara para investir cerca de R$ 500 milhões no estado com a construção de mais uma estação.

Na manhã dessa terça (16), o secretário de Governo Merlong Solano recebeu o presidente e o diretor da empresa, Antônio Bastos e Geraldo Alexandre Martins, respectivamente. Para o início da construção, a empresa necessita de uma autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICM-BIO). Os representantes da Omega Energia solicitaram apoio do Governo durante audiência.

“A obra já foi licenciada pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar), mas precisamos dessa autorização do Instituto. Temos apoio do Governo e da população daquela região. Temos uma parceria com a Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI) para a elaboração de um projeto de implantação do curso técnico de Sistemas de Energia Renováveis no Piauí”, destacou Geraldo Alexandre sobre o trabalho da Omega no estado.

A empresa produz energia eólica que é distribuída para a  Eletrobras e usada de Parnaíba a Piripiri, na região Norte do Estado, e parte em Teresina. Dois dos parques instalados estão localizados no Delta do Parnaíba. O parque eólico Delta 2 tem capacidade instalada de 74,8MW. O Delta 1 também está localizado no Delta e tem uma capacidade de 70MW.

“O Governo do Estado encoraja investimentos em energia eólica no Piauí. Em tempos de crise hídrica, precisamos recorrer a energia termoelétrica, que não é sustentável. Em pouco tempo o Piauí se tornará autosuficiente em energia renovável, e não dependeremos de outros estados”, declarou Merlong Solano. O secretario de Governo garantiu que irá acompanhar os representantes da Omega Energia em audiência com a ICM-BIO.