Braga visita Subestação Olímpica e destaca legado no Rio

, Construção, Economia

 

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, visitou na última sexta-feira (14/8) a Subestação Olímpica, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. “É a primeira obra concluída no Parque Olímpico, fruto da parceria entre Light, Furnas e o Ministério”, disse Braga. Acompanhado pelo presidente de Furnas, Flávio Decat, o ministro afirmou que a Subestação será um dos grandes legados para a cidade do Rio de Janeiro.

A obra, sob a responsabilidade do Ministério de Minas e Energia e com recursos do Governo Federal, irá garantir a segurança no fornecimento de energia elétrica para a Olimpíada no Rio. Além da Subestação Olímpica, as subestações de Adrianópolis, Jacarepaguá, São José e Grajaú foram modernizadas e reforçadas para o evento esportivo.

A Sociedade de Propósito Específico (SPE) Energia Olímpica, formada pelas empresas Light e Furnas com recursos do Governo Federal, é responsável pelas obras que irão garantir o fornecimento de energia elétrica para o evento.

Por meio da SPE Energia Olímpica, o Governo Federal investiu R$ 152 milhões para construção da subestação, além de dois ramais subterrâneos de 138kV derivados das subestações Gardênia e Barra II, e da ampliação destas duas SEs para disponibilizar as saídas de linha de 138kV.

Outras obras de energia elétrica que vão aumentar a segurança energética para os cariocas após as Olimpíadas serão realizadas pelas empresas Light e Furnas, com acompanhamento pelo Ministério de Minas e Energia.

O Parque Olímpico da Barra será o principal centro de competição dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. A estrutura ocupará uma área de 1,18 milhão de metros quadrados e vai reunir nove instalações esportivas. Após o fim das competições, o Parque Olímpico abrigará o primeiro Centro Olímpico de Treinamento (COT) do Brasil e o mais moderno da América do Sul, voltado para atletas de alto rendimento.