PLD cai 20% no Nordeste e segue no mínimo nos demais submercados

, Economia
Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE informa que o Preço de Liquidação das Diferenças – PLD para o período entre 6 e 12 de fevereiro de 2016 passou de R$ 139,88/MWh para R$ 111,65/MWh, redução de 20% frente ao valor da semana anterior. Nos submercados Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte, o PLD permanece em R$ 30,25/MWh, valor mínimo estabelecido para o ano.

 As afluências projetadas para o Sistema em fevereiro foram revistas de 109% para 99% da Média de Longo Termo – MLT. A redução também é esperada no Sudeste/Centro-Oeste (109% para 89% da MLT), mas a expectativa é que o índice suba no decorrer das semanas do mês. As ENAs previstas para o Sul (129% para 168%) e Norte (86% para 111%) estão acima da média histórica, enquanto para o Nordeste foram revistas de 118% para 96% da MLT.

 A manutenção das altas afluências, esperadas para as próximas semanas, sobretudo no Sul e no Norte, mantém preço mínimo no Sudeste, Sul e Norte. Os limites de recebimento de energia do Nordeste continuam sendo atingidos e o preço deste submercado fica diferente aos demais. Já os limites de intercâmbio entre Sudeste e Sul; Sudeste e Norte não são atingidos em função das afluências otimistas previstas para fevereiro, equalizando os preços nesses submercados.

 Os níveis dos reservatórios do SIN ficaram aproximadamente 5.050 MWmédios acima do esperado, elevação observada em todos os submercados (com exceção do Nordeste ( -150 MWmédios). O incremento foi de 2.450 MWmédios no Sudeste, 1.550 MWmédios no Sul e 1.230 MWmédios no Norte.

 A previsão de carga de energia do SIN para a segunda semana de fevereiro foi reduzida em aproximadamente 440 MWmédios em relação ao previsto na semana anterior. Apenas no Sudeste, em função das temperaturas mais elevadas, houve elevação da carga (+330 MWmédios). Houve redução no Sul (-200 MWmédios), Nordeste (-330 MWmédios) e Norte (-240 MWmédios).

 O fator de ajuste do MRE esperado para fevereiro é de 86,7% e os Encargos de Serviços do Sistema – ESS estimados em R$ 969 milhões, sendo R$ 847 milhões referentes à segurança energética.

 A análise detalhada do comportamento do PLD pode ser encontrada no boletim InfoPLD, divulgado semanalmente no site da CCEE.

  Entenda o PLD

 O PLD é o preço de referência do mercado de curto prazo, utilizado para precificar o que foi gerado e o que foi consumido de energia elétrica por todos os participantes do mercado (que operam no âmbito da CCEE).

 A CCEE apura mensalmente o total de energia consumido pelos consumidores que compram no Ambiente de Comercialização Livre – ACL e pelos cativos do Ambiente de Contratação Regulado – ACR. Os contratos negociados no mercado livre, fechados entre o comprador e o vendedor (pelos geradores, comercializadores e consumidores livres e especiais) e pagos bilateralmente, também são registrados na CCEE. Por sua vez, no mercado cativo os contratos são fechados em leilões regulados pelo governo, informações também registradas pela CCEE. Caso haja mais consumo ou geração do que os montantes contratuais registrados, essas diferenças são liquidadas mensalmente no mercado spot (à vista ou de curto prazo, como também é conhecido). Todos os devedores(subcontratados) pagam em igual proporção para os credores (sobre contratados).

 O valor utilizado para este acerto é o Preço da Liquidação das Diferenças – PLD que é calculado semanalmente pela CCEE e, após Resolução Homologatória da ANEEL de número 2.002, de 15 de dezembro de 2015 – tem valor teto de R$ 422,56/MWh e piso de R$ 30,25/MWh, vigentes a partir da primeira semana operacional de janeiro/2016.