DIRETO DA REDAÇÃO – O avanço do carro elétrico no mundo

, Economia

No Direto da Redação desta semana, destaque para a Revista Forbes Brasil, que elegeu pela terceira vez os 25 principais presidentes de empresas do Brasil. Dentre os executivos escolhidos, alguns são do setor energético: Pedro Parente, da Petrobras, Fábio Venturelli, do Grupo São Martinho, Harry Schmelzer Jr., da Weg, Wilson Ferreira Jr., da Eletrobras, e Miguel Setas, da EDP Brasil.

* E o consumo de petróleo no mundo poderia atingir seu pico até o fim da próxima década, na projeção do presidente da Shell, Ben van Beurden. O motivo, segundo ele, será a popularização dos veículos elétricos. Neste cenário, os veículos a bateria substituirão os motores tradicionais a combustão. Apesar disso, ele acredita que o petróleo ainda será necessário por décadas, uma vez que provavelmente continuará sendo o principal combustível para aviões, navios e caminhões pesados.

Uma notícia que reforça essa projeção do presidente da Shell vem da Inglaterra. Nesta semana, o Reino Unido anunciou planos de proibir veículos a diesel e à gasolina até 2040. No território britânico, a venda de veículos híbridos, que funcionam com um motor elétrico combinado a um a combustão, também será proibida. E esse movimento já está se alastrando pelo mundo afora. Na Noruega, a proibição do uso destes combustíveis fósseis começa a valer em 2025. Na Índia, 2030. Na Alemanha e na França, o limite também é 2040.

Diante desta tendência, as companhias do setor automobilístico estão se mexendo. A Mercedes anunciou a sua saída das tradicionalíssimas corridas da DTM na Alemanha, mudando o investimento para carros de corrida movidos a energia elétrica. Já a sueca Volvo anunciou que a partir de 2019 só vai produzir carros puramente elétricos ou híbridos.

Ao mesmo tempo, já começou a corrida automobilística por inovações que descartam o uso de fósseis, especialmente voltadas aos carros elétricos.

Nesta semana, por exemplo, a start-up de tecnologia SONO MOTORS, com sede em Munique, na Alemanha, apresentou para o mercado o Sion, um veículo elétrico inovador e econômico com integração solar, e adequado para o uso diário.  Com capacidade para rodar 250 km, o veículo custa 16.000 euros (sem bateria) e é especialmente atraente para famílias e pessoas que viajam a  trabalho de uma cidade à outra. A bateria estará disponível para aluguel mensal ou compra única. A Sono Motors começará a fazer um tour para test drives pela Europa com o Sion. O primeiro acontecerá no dia 18 de agosto, em Munique, e continuará por pelo menos 12 cidades e 7 países.

 

Deixe uma resposta