quinta-feira, Março 21, 2019
Notícias Política Acordo nuclear do Irã deve entrar em vigor neste fim de semana

Acordo nuclear do Irã deve entrar em vigor neste fim de semana

103
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O acordo nuclear do Irã vai entrar em vigor neste fim de semana, de acordo com autoridades iranianas e ocidentais, desencadeando a suspensão das sanções aplicadas contra o país e remodelando o cenário político e econômico do Oriente Médio.

Espera-se que a Agência de Energia Nuclear das Nações Unidas (IAEA, na sigla em inglês) emita o certificado de que Teerã cumpriu com as obrigações do acordo fechado em julho com as potências globais, para reduzir significantemente seu programa nuclear.

Em troca, a maioria das sanções ocidentais começarão a ser retiradas, enviando dezenas de bilhões de dólares em dinheiro congelado do petróleo iraniano de volta ao país, e abrindo os mercados globais para centenas de milhares de barris de petróleo iraniano.

A Casa Branca afirmou que a implementação do acordo será um grande avanço na campanha dos Estados Unidos para interromper o avanço dos arsenais nucleares. Mas também representa riscos diplomáticos para os EUA e seus aliados médio-orientais – como Israel, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos -, de acordo com diplomatas e analistas.

“Todos os países do mundo estão preocupados sobre isso”, disse o ministro de Relações Exteriores saudita, al-Jubeir, em Londres, nesta quinta-feira, referindo-se ao retorno de ativos congelados. “A preocupação da maioria dos países é que o Irã não use esses fundos para melhorar o bem-estar da população e, em vez disso, financie as atividades de desestabilização”.

Irã e Arábia Saudita passam por conflitos crescentes marcados por guerras na síria, Iraque e Iêmen. Diplomatas árabes temem que a liberação da economia do Teerã permita que líderes teocráticos iranianos exerçam um papel cada vez mais assertivo em suas regiões.

Para marcar o esperado acordo, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, visitará Viena amanhã, onde se encontrará com o secretário de Estado do Irã, Javad Zarif, e a chefe de política externa da União Europeia, Federica Mogherini.

As sanções impostas ao Irã pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) serão automaticamente suspensas quando a IAEA enviar ao conselho seu relatório final de que o país cumpriu com suas obrigações. Caso o Irã viole o acordo, a ONU pode reaplicar as restrições econômicas.

Empresas europeias e asiáticas estão ansiosas para ingressar no mercado iraniano de 80 milhões de habitantes e enormes reservas de petróleo e gás natural, além de uma população jovem e educada.