sábado, julho 20, 2019
Notícias Tecnologia e Inovação Boeing e Embraer apresentam avião para testar biocombustível

Boeing e Embraer apresentam avião para testar biocombustível

172

Um avião movido 100% a biocombustível. Esta é a meta ambiciosa para um futuro próximo de duas fabricantes de aeronaves: Boeing e Embraer. Em programa desenvolvido em parceira entre as duas empresas, foi apresentada nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro, a aeronave Embraer 170, usando 10% de biocombustível, feito a a partir da cana-de-açúcar produzido, no Brasil. O avião usa também outras tecnologias em desenvolvimento que têm o objetivo de reduzir o consumo de combustível e as emissões.

Executivos de Boeing e Embraer apresentaram a aeronave que vai testar o uso de biocombustível e várias outras tecnologias em desenvolvimento. O trabalho em conjunto das pesquisas se desenvolve no Programa de testes ecoDemonstrator da Boeing.

Mauro Kern, vice-presidente executivo de Operações da Embraer, destacou que em 2012 as duas empresas fecharam o primeiro acordo para cooperação no desenvolvimento de tecnologias para aumentar a segurança da operação e a sustentabilidade. A parceria resultou na criação de um centro de pesquisas em biocombustíveis, instalado em São José dos Campos, em São Paulo.

Parceiras

Mauro Kern destacou que, no caso de combustível para aeronaves, se buscam desenvolver biocombustíveis que possam funcionar nos mesmos motores que usam o querosene de aviação, o QAV, que é um combustível fóssil.

Sem revelar os valores gastos nas pesquisas, o executivo disse que a meta é de no futuro se conseguir que a aeronaves usem 100% de biocombustível. Os testes são para conseguir mostrar que o biocombustível tem propriedades físicas e químicas compatíveis com o combustível fóssil (QAV).

“O Brasil, pela característica da sua natureza favorável à biocombustíveis, desenvolve tecnologias nessa linha desde os anos 70 com o Próalcool. A aviação tem um papel relevante no desenvolvimento de soluções para o futuro mais sustentável”, disse Kern.

As empresas iniciaram no ano passado uma parceria para desenvolver tecnologias voltadas para reduzir o impacto ambiental da indústria aeroespacial, em um esforço para melhorar o desempenho da aviação com a redução das emissões.