Brasil deve estar entre os maiores produtores de energia solar até 2018

69

O atual líder no mercado de energia solar latino-americano é o Chile, mas, segundo o Guia Estratégico da GTM Research para a América Latina, tanto o México quanto o Brasil poderão ultrapassá-lo em instalações acumuladas até 2018.

O boletim “Energia Solar no Brasil e no Mundo – 2015”, divulgado pelo Ministério de Minas e Energia, reforça essa análise, indicando que o Brasil deve integrar o ranking dos 20 maiores produtores de energia solar nos próximos dois anos.

A expansão do uso da energia solar fotovoltaica no país, bem como a potência de 2,6 GW de geração centralizada colaboram nessa projeção. Até o final de 2015, todos os países do mundo computavam uma potência instalada solar fotovoltaica de 234 GW, considerando também a expansão de 52 GW no ano – o que corresponde a 1.635km² de painéis solares.

Os estudos do Plano Nacional de Energia (PNE 2050), em elaboração pela Empresa de Pesquisa Energética, estimam que 18% dos domicílios de 2050 contarão com geração fotovoltaica (13% do consumo residencial). Para uma projeção mais rápida, até 2024, a estimativa do Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE-2024), é que a capacidade instalada de geração solar no Brasil chegue a 8.300 MW. Os estudos do PDE 2025, em elaboração, sinalizam a ampliação dessas previsões.