Brasil e EUA aprofundam cooperação em energia

81
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Brasil e Estados Unidos deram mais um passo para fortalecer a cooperação para o desenvolvimento de tecnologias em energia, em especial nas áreas de energias renováveis, eficiência energética e redes inteligentes, ou Smart Grids. Nesta terça-feira (20/10), o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, foi recebido em reunião pelo secretário de Energia dos Estados Unidos, Ernest Moniz, na sede de Departamento de Energia americano, em Washington para discutir ações de parceria.

A próxima reunião para dar sequência nas ações de cooperação entre os países foi marcada para novembro, quando começam a ser  operacionalizadas as atividades selecionadas, que se inserem no Diálogo Estratégico em Energia Brasil – Estados Unidos (SED).

“Iniciamos desde sexta-feira diversas reuniões com potenciais investidores e com alavancadores de investimento para o setor elétrico,  aqui e em Nova Iorque, e hoje, junto com nosso embaixador Luiz Alberto Figueiredo, estivemos com o secretário de Energia dos Estados Unidos, tratando de cooperações entre o Brasil e os Estados Unidos, principalmente nas áreas de tecnologia e energias renováveis. Tivemos uma reunião bastante objetiva e, a nosso juízo, muito bem sucedida”, afirmou Braga.

A colaboração entre os dois países na área energética se insere nos esforços iniciados após o compromisso firmado entre a presidenta Dilma Rousseff e o presidente Barack Obama, em junho, de atingir 20% da matriz elétrica com uso de fontes renováveis, sem contar a hidroeletricidade, até 2030. A reunião entre Braga e Moniz dá continuidade a esses esforços.

De acordo com Moniz, os Estados Unidos têm focado sua pesquisa em inovação tecnológica, com destaque para a energia solar fotovoltaica. Segundo afirmou Moniz a Eduardo Braga, os Estados Unidos têm grande interesse em contribuir com o Brasil para expandir essa fonte elétrica na matriz brasileira.

Do lado americano, Moniz afirmou que os Estados Unidos têm especial interesse em conhecer mais tecnologias em biocombustíveis, área em que o Brasil acumula grande experiência. Na reunião, ele afirmou que os países podem fomentar a troca de experiências entre especialistas e centros de pesquisa e desenvolvimento.

“O Brasil tem muito a oferecer, é um pais enorme e importante para nós”, afirmou Moniz, durante a reunião.