quinta-feira, Março 21, 2019
Notícias Política Brasil exporta energia elétrica para a Argentina

Brasil exporta energia elétrica para a Argentina

83
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), intercâmbio foi feito em caráter emergencial por solicitação da operadora elétrica argentina Cammesa
O Brasil exportou para a Argentina 69 MW médios (1.656 MWh) de energia elétrica na terça-feira (19). Segundo informações do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o intercâmbio foi feito em caráter emergencial por solicitação da Cammesa (operadora elétrica argentina) em tempo real, devido à carga acima da prevista aliado à indisponibilidade de recursos de geração argentina.

A transação permite o aumento da confiabilidade dos sistemas, redução do custo de produção de energia e aproveitamento das diversidades de carga e geração entre sistemas.

Na quarta-feira (20), o Brasil voltou a exportar energia para a Argentina, enviando 84 MW médios (2.016 MWh) para o país vizinho, pelas mesmas razões. As interligações internacionais entre sistemas elétricos do Brasil com países vizinhos foram concebidas a partir do interesse mútuo de estabelecer um caminho de integração.

Itaipu

Atualmente, a integração elétrica com os países vizinhos é realizada por meio da usina hidrelétrica Itaipu, pertencente aos governos brasileiro e paraguaio; das conversoras de frequência 50/60 Hz Uruguaiana, Garabi 1, Garabi 2, que possibilitam intercâmbio com a Argentina; da conversora Rivera, que possibilita intercâmbio com o Uruguai; e da interligação entre Brasil e Venezuela, utilizada para atendimento ao sistema elétrico de Roraima, isolado do restante do País.

América do Sul

Está em fase final de testes a conversora de frequência “Melo”, que representa nova interligação com o Uruguai. Em relação ao intercâmbio de energia realizado com a Venezuela, atualmente o Brasil é apenas importador de energia do país vizinho para abastecimento de Boa Vista (RR). Esta é a única capital brasileira que ainda não dispõe de um sistema elétrico interligado ao restante do País, sendo o fornecimento de energia no local realizado predominantemente a partir da importação de energia da Venezuela e da geração do parque térmico instalado no local.

A interligação de Roraima ao Sistema Interligado Nacional (SIN) será efetivada com a construção da LT 500 kV Lechuga – Equador – Boa Vista, empreendimento cuja Licença Prévia, necessária para o início da construção, foi emitida em dezembro de 2015, mas a obra não foi iniciada devido a questionamentos envolvendo a Funai e o Ministério Público.