Capacidade instalada de geração atinge 142.913 MW em abril

85

O Brasil registrou no mês de abril 142.913 MW de capacidade instalada de geração no sistema elétrico. Em comparação com o mesmo mês em 2015, houve um acréscimo de 6.958 MW, sendo 2.629 MW de geração de fonte hidráulica, de 1.501 MW de fontes térmicas, 2.820 MW de fonte eólica e 8 MW de fonte solar. As informações são do Boletim Mensal de Monitoramento do Sistema Elétrico Brasileiro, elaborado pelo Ministério de Minas e Energia.

No mesmo período entraram em operação comercial 1.077,43 MW de capacidade instalada de geração, 15,0 km de linhas de transmissão e 1.000 MVA de transformação na Rede Básica. Em 2016 a expansão do sistema totalizou até abril 2.758,96 MW de capacidade instalada de geração, 507,1 km de linhas de transmissão de Rede Básica e conexões de usinas e 5.190 MVA de transformação na Rede Básica.

Com relação à produção de energia, no mês de fevereiro a geração hidráulica correspondeu a 78,7% do total gerado no país, 2,2 p.p. superior ao verificado no mês anterior, e a participação da produção eólica na matriz de produção de energia elétrica do Brasil aumentou 1,1 p.p. A participação de usinas térmicas na matriz de produção de energia elétrica, em termos globais, reduziu 3,3 p.p. entre janeiro e fevereiro de 2016, com destaque para as variações de -2,0 p.p. de geração a gás e -1,0 p.p. de geração a petróleo.

No mês de março, o consumo de energia elétrica atingiu 51.973 GWh, considerando autoprodução e acrescido das perdas, valor 3,9% superior ao verificado no mesmo mês do ano anterior. Além disso, foi verificada a expansão anual de 2,5% no número de unidades consumidoras residenciais.

O Boletim Mensal de Monitoramento do Sistema Elétrico Brasileiro é um documento oficial elaborado pela Secretaria de Energia Elétrica do MME com informações atualizadas e consolidadas sobre a operação eletroenergética no Brasil, permitindo o registro e acompanhamento de temas relevantes do Setor Elétrico, tais como a expansão e o desempenho dos sistemas de geração, transmissão e distribuição, as condições hidrometeorológicas e a política operativa adotada, o comportamento do mercado consumidor e as ocorrências de maior impacto ao Sistema Elétrico Brasileiro (SEB).