CGEE propõe centro tecnológico de energia eólica

46

A energia eólica é uma das fontes que mais crescem no setor elétrico. Buscando um fomento ainda maior ao desenvolvimento tecnológico do setor no Brasil, o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) traz em sua mais recente publicação a proposta da criação de um centro de teste e demonstração para fortalecer a indústria nacional eólica.

A proposta do Instituto Tecnológico de Energia Renovável (Inter) apresenta como principal atividade a realização de testes de protótipos em tamanho real e desenvolvimento de produtos e soluções. Também prevê pesquisa, capacitação e difusão tecnológica relacionadas ao projeto e fabricação, instalação, operação e manutenção de aerogeradores, além de aproximar os especialistas e pesquisadores dos segmentos industrial e acadêmico por meio da oferta de pesquisa aplicada e inovação tecnológica.

O estudo “Programa demonstrativo para inovação em cadeia produtiva selecionada: energia eólica” surgiu como demanda dos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), de Minas e Energia (MME) e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), e foi liderado pela assessora técnica do CGEE Ceres Cavalcanti. Houve participação técnica de equipe do Centro, de consultores dos três ministérios e de outras instituições, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCTI), que junto à assessora construíram uma proposta estruturante para beneficiar o setor no Brasil.

A equipe iniciou a pesquisa levantando dados a respeito do setor eólico nacional e internacional, traçando um roteiro estratégico. Com base nas informações coletadas, o projeto selecionado foi a criação do Inter para fortalecer a base científica e tecnológica na área, assim como desenvolver a indústria nacional de geração de energia renovável e impulsionar o mercado desse tipo de energia, sobretudo a eólica, com pesquisas e serviços especializados.

A publicação apresenta justificativas quanto à escolha do projeto e às propostas técnicas do instituto, com objetivos e planejamento. Os capítulos seguintes trazem as propostas jurídica e financeira, com análise de risco e fragilidades. O conteúdo é subsídio para fomentar a tomada de decisão do governo em ciência, tecnologia e inovação (CT&I) no setor elétrico no Brasil.