China planeja aumentar importação de gás natural em 500% até 2030

70

A avidez da China por recursos naturais não tem limites e o país já planeja uma ampliação significativa na importação de gás natural para os próximos anos, com a previsão de um aumento de 500% nas compras internacionais até 2030. O processo é influenciado pelo objetivo chinês de reduzir o uso do carvão na matriz.

Quem ficará à frente deste plano é a China National Petroleum Corporation (CNPC), que pretende aumentar as importações atuais de 53 bilhões de metros cúbicos de gás natural por ano para até 270 bilhões de metros cúbicos.

Apesar do já volumoso programa de importação do país asiático, hoje as compras externas representam apenas um quarto do consumo de gás natural do país, que fechou 2015 com uma demanda de cerca de 200 bilhões de metros cúbicos do insumo.

Com a nova guinada pela importação, que também se reflete no aumento da produção de gás internamente, a Rússia deverá se tornar um parceiro cada vez mais importante da China, já que grande parte das novas importações virá do país liderado por Vladimir Putin. Para isso, está sendo construindo um grande gasoduto de ligação entre os dois países, que será responsável pelo envio de 38 bilhões de metros cúbicos de gás natural russo por ano para os chineses, e já há negociações em curso para a construção de um segundo gasoduto paralelo, de proporções similares.