Diretor da EPE, José Mauro Coelho recebe a Medalha Tiradentes, maior comenda da Alerj

295

José Mauro é considerado um dos pais do RenovaBio, programa que irá revolucionar toda a cadeia bioenergética do país

 

Na manhã de hoje, 19 de março, a Assembleia Legislativa do estado do Rio de Janeiro homenageou, com a Medalha Tiradentes, José Mauro Coelho, diretor de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

A solenidade de premiação contou com grande número de convidados, entre familiares, amigos, profissionais da EPE e do Ministério de Minas e Energia, além de especialistas de diferentes segmentos do setor energético brasileiro. A concessão da Medalha foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Rio, em sessão realizada no último dia 7 de fevereiro. A propositura foi apresentada pelo Deputado Milton Rangel.

Dentre as autoridades presentes, estavam: Ibsen Flores, Presidente da PPSA; Leandro Leme, Diretor da PPSA; Thiago Barral, Diretor da EPE; Mauro Osorio, Presidente do Instituto Pereira Passos; Amilcar Guerreiro, Diretor da EPE; Milton Rattes, Secretário Estadual de Emprego e Renda; Sérgio Bandeira de Mello, Presidente do Sindigas; Miguel Tranim, Presidente da ALCOPAR; Felipe Kury, diretor da ANP; e Antônio Guimarães, diretor do IBP.

Para o presidente executivo da UDOP (União dos Produtores de Bioenergia), Antonio Cesar Salibe, a homenagem é mais do que justa. “José Mauro é hoje uma das pessoas mais importantes no contexto dos biocombustíveis na EPE. Sendo considerado, inclusive, um dos pais do RenovaBio, programa que irá revolucionar toda a cadeia bioenergética, e ouso dizer, o melhor programa mundial de mitigação da emissão de gases de efeito estufa, com incentivos para a produção e uso de biocombustíveis”, destacou Salibe.

A atuação do diretor de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis é um divisor de águas à frente da Diretoria, na opinião de Alexandre Cobbett, economista, assessor da diretor da EPE e amigo de José Mauro Coelho. “Seu conhecimento técnico, experiência em gestão, proatividade em buscar o diálogo com os agentes de mercado a fim de promover o desenvolvimento do setor – sempre focado no aspecto técnico, visando o melhor à sociedade brasileira e favorecendo o crescimento da produção, a geração de renda e, por conseguinte, a criação de empregos – engrandeceu o papel da DPG e da Empresa de Pesquisa Energética.”

“Por tudo que já realizou e se compromete a realizar, José Mauro faz jus, com todos os méritos, à comenda que recebeu hoje na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, cuja Medalha Tiradentes é a maior honraria que o Parlamento pode conceder a uma personalidade que contribui para o desenvolvimento do estado do RJ e do país”, pontua.

DISCURSO DO HOMENAGEADO

Ao receber a comenda, o laureado enalteceu a figura inspiradora de Tiradentes, mas frisou o seu agradecimento às pessoas que sempre estiveram ao seu lado o apoiando e motivando ao longo da carreira.  “Esta honraria não representa apenas o esforço de um indivíduo, mas sim da mobilização de forças de todos aqueles que, no decorrer de minha vida acadêmica e profissional, contribuíram para o meu desenvolvimento.”

Durante seu discurso na solenidade, José Mauro Coelho fez alusão especial aos seus colegas e amigos da Empresa de Pesquisa Energética, em especial aos que trabalham na DPG. “O prêmio não é um reconhecimento de meu trabalho, mas sim do nosso trabalho, trabalho de equipe, equipe composta por verdadeiros guerreiros de Esparta, em que a inferioridade numérica é sempre superada pela motivação. E aqui fica meu muito obrigado a vocês por muitas vezes chegarmos às 8h da manhã na EPE e ficarmos até as 20h batalhando por aquilo que acreditamos, às vezes em infindáveis discussões técnicas, sempre focados em ajudar a construir uma indústria de petróleo, gás e biocombustíveis cada vez melhor no nosso país. Gostaria de dizer que essa medalha Tiradentes é também de vós, amigos da EPE”, destacou.

No encerramento de seu discurso, José Mauro frisou que a tônica de seu trabalho está na busca incessante de uma indústria de gás, petróleo e biocombustíveis pujante para o país, apta a atrair investimentos e, consequentemente, gerar empregos, renda e fortalecer a economia. “Volto às palavras de Tiradentes, se todos quisermos, podemos fazer desse país uma grande nação.”

 

MEDALHA TIRADENTES

Instituída em 1989, a láurea recebida por José Mauro Coelho já premiou autoridades e personalidades políticas, diplomáticas e religiosas, além de empresas públicas e privadas. É a maior comenda concedida pelo Poder Legislativo do Rio de Janeiro (ALERJ), destinada a premiar personalidades que tenham prestado relevantes serviços à causa pública. Foi criada por ocasião das comemorações do bicentenário da Inconfidência Mineira, em 21 de abril de 1989, representando um marco histórico na perpetuação do Poder Legislativo do Estado do Rio de Janeiro.

Em seu anverso, a Medalha traz a efígie do Protomártir da Independência, o republicano libertário, Alferes Joaquim José da Silva Xavier, Tiradentes. No seu reverso, a inscrição latina “Libertas Quae Sera Tamen” (Liberdade ainda que tardia), circundada pelo contorno geográfico do Brasil.

Na lista de autoridades e personalidades contempladas com a láurea estão o Papa Bento XVI; Jacques Chirac, ex-presidente da França; ministros Luiz Fux (STJ) e Celso Amorim (Relações Exteriores); Geraldo Alckmin, governador de São Paulo; entre outros. Empresas como Petrobras, Rede Globo, Infraero e Rede Record também já foram contempladas com a comenda.

 

TRAJETÓRIA

José Mauro Ferreira Coelho é graduado em Química Industrial, com Mestrado em Engenharia dos Materiais pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) e Doutorado em Planejamento Energético pelo Programa de Planejamento Energético (PPE) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

É funcionário de carreira da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), onde exerceu os cargos de Superintendente Adjunto de Petróleo, Superintendente Adjunto de Gás Natural e Biocombustíveis e Assessor na Diretoria de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (DPG). Atualmente é o Diretor de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis.

Possui mais de vinte e cinco anos de experiência profissional, atuando nos setores de petróleo, gás natural e biocombustíveis. Atuou também, por vários anos, na área docente de graduação e pós-graduação, com três livros publicados e mais de trinta trabalhos científicos apresentados ou publicados em periódicos ou anais de congressos nacionais e internacionais.

Possui como condecorações a Medalha Prêmio Correia Lima concedida pelo Exército Brasileiro e a Moção de Congratulação e Louvor da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

 

100 MAIS INFLUENTES DA ENERGIA

Em dezembro do ano passado, o diretor de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da EPE foi homenageado pelo Grupo Mídia e pela Revista Full Energy, ao receber o prêmio 100 Mais Influentes da Energia 2017.

“É uma alegria e uma honra muito grande estar entre os 100 Mais Influentes da Energia no ano de 2017. As responsabilidades, que hoje já são grandes, aumentam ainda mais com esta eleição. Gostaria de ressaltar o enorme trabalho de toda a equipe da Diretoria de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis, a qual estou à frente, que tem como atribuição realizar estudos relacionados ao planejamento energético de todo o setor de petróleo, gás natural e biocombustíveis (etanol, biodiesel, biogás, bioquerosene e bioeletricidade) do país”, disse José Mauro, que na época da premiação enfatizou que “o prêmio não é meu, mas sim um reconhecimento do trabalho de todos da EPE”.

Para ele, estar à frente da Diretoria de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) é um grande e prazeroso desafio. Ele destaca como principais ações de sua gestão:

  1. aproximação da área de petróleo, gás natural e biocombustíveis da EPE dos diferentes agentes de mercado;
  2. trabalho conjunto e coordenado desenvolvido pela área de petróleo, gás natural e biocombustíveis da EPE com os principais agentes governamentais destes setores, com destaque para os trabalhos desenvolvidos com o Ministério de Minas e Energia (MME) e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP);
  3. participação da área de petróleo, gás natural e biocombustíveis da EPE em diversas iniciativas estruturantes do MME, com destaque para o Programa Para Revitalização da Atividade de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural em Áreas Terrestres (REATE), o Combustível Brasil, o Gás Para Crescer e o RenovaBio.

Segundo ele, as expectativas para 2018 são excelentes. “Esperamos que todas as iniciativas que hoje estão em curso no Ministério de Minas e Energia, e que têm em seu Núcleo Coordenador a EPE, comecem a surtir os efeitos esperados na construção de um mercado mais plural, com maior diversidade de agentes, propício aos investimentos e por consequência mais competitivo. E que tudo isso possa refletir no crescimento econômico do País e no bem-estar da população.”