Empresa de energias renováveis busca parceiros para fazer oferta por eólicas da Eletrobras em leilão

89

A desenvolvedora de projetos de energia renovável Renobrax contratou assessores financeiros para buscar parceiros e estruturar uma oferta conjunta para a aquisição de usinas eólicas que a estatal Eletrobras deve vender em um leilão no segundo semestre.

Os empreendimentos da estatal na mira da companhia —os complexos Eólicas do Sul e Campos Neutrais— somam 583 megawatts em capacidade instalada e receberam investimentos de cerca de 3 bilhões de reais da Eletrobras, disse à Reuters o presidente da Renobrax, Christian Hunt.

A elétrica estatal tem dito que deve realizar em julho um leilão para vender participações em usinas eólicas e linhas de transmissão com o objetivo de levantar recursos para quitar dívidas.

“Nosso objetivo é participar de um consórcio… temos uma posição estrategicamente importante, em função de termos desenvolvido esses ativos no passado”, disse Hunt.

Ele adicionou que a empresa já atua há oito anos em campanhas de medição de potencial eólico na região dessas usinas do Rio Grande do Sul, além de possuir projetos em áreas contíguas que permitiriam uma expansão dos complexos em até 330 megawatts.

Segundo Hunt, a Renobrax tem sido procurada principalmente por empresas do setor elétrico, conhecidos como “investidores estratégicos”, mas está aberta também a eventuais parcerias com fundos de investimentos e outros interessados.

A empresa de projetos, que não possui ativos operacionais, também diz ter créditos a receber junto à Eletrosul, subsidiária da Eletrobras, pela cessão dos projetos.

Hunt estima que a empresa teria cerca de 70 milhões de reais a receber da elétrica, o que poderia ser incluído de alguma forma nas negociações.

“A gente está procurando um sócio para montar essa operação… existe um conjunto de fatores que faz com que a Renobrax seja um parceiro-chave para essa aquisição”, afirmou.

Ele disse ainda que a empresa não definiu até o momento se ficaria como majoritária ou minoritária nos consórcios eventualmente criados para disputar o leilão das usinas. “Vai depender do interesse dos nossos parceiros”.

A Renobrax é assessorada no negócio pela Clean Energy Latin America (CELA), que atua com fusões e aquisições, consultoria e operações financeiras para o setor de energia renovável.

A Eletrobras ainda não definiu os preços dos empreendimentos que serão vendidos em seu leilão, que chegou a ser previsto para 29 de junho.

Os ativos que serão ofertados têm valor contábil de 2,5 bilhões de reais e incluem 967 megawatts em parques eólicos e cerca de mil quilômetros em linhas de transmissão de energia.

Fonte: Reuters