Eletrobras tem prejuízo de R$ 4,225 bilhões no terceiro trimestre

50
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Eletrobras apresentou prejuízo líquido de R$ 4,225 bilhões no terceiro trimestre, salto ante o resultado negativo de R$ 2,764 bilhões registrado no mesmo período do ano passado.

A receita operacional líquida totalizou R$ 7,9 bilhões, alta de 20% ante o terceiro trimestre de 2014.

O prejuízo fica pequeno perto da estimativa mais pessimista da Polícia Federal (PF) para o rombo que a corrupção causou na Petrobras. De 2004 a 2014, a PF estima que a estatal perdeu R$ 42,8 bilhões. O número é quase sete vezes maior do que os R$ 6,2 bilhões que o calculado em abril.

Fazendo comparações, os R$ 42, 8 bilhões é o equivalente ao Produto Interno Bruto de Campinas – o 11º maior do Brasil -, duas vezes o prejuízo da Petrobras em 2014, 21 meses de Bolsa Família – ou 14 mil famílias atendidas em um mês – e a construção ou reforma de 60 estádios na Copa do Mundo de 2014.

A Polícia Federal mostrou o rombo em um inquérito sobre a empreiteira Odebrecht. Foram considerados todos os contratos da última década entre a Petrobras e as 27 construtoras que atuaram em obras do cartel que fraudava as licitações.

O panorama é o pior possível porque considera propina em todos os contratos – o que não é comprovado e é negado pelas partes envolvidas – e que em todos a Petrobras gastou 20% a mais do que a estimativa inicial da obra, o teto permitido na estatal.

O ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco entregou, em delação no ano passado, uma planilha com 87 obras da estatal e seus respectivos “acertos”, mas estima que só 20% delas acabaram gerando propina.

A Petrobras fechou o terceiro trimestre com prejuízo de R$ 3,76 bilhões. Entre as justificativas para o resultado está a alta recente do dólar. No mesmo período de 2014, o prejuízo foi de R$ 5,34 bilhões.