Energias renováveis irão compor 85% da matriz energética global até 2050, segundo relatório

47

Agência Internacional de Energias Renováveis (IRENA) divulgou o estudo Transformação Energética Global no qual um roteiro com prognóstico até o ano de 2050 aborda rumos do desenvolvimento do mercado energético global para os próximos 32 anos. No relatório em questão, também são avaliadas possíveis soluções para o setor em relação à redução das emissões de carbono previstas pelo Acordo de Paris que devem frear o aumento da temperatura global em dois graus.

Segundo o relatório internacional, será preciso aumentar em pelo menos seis vezes a agilidade na adesão das fontes limpas para reduzir emissões e evitar a escalada de ativos ociosos. O crescimento será de 60%, com destaque para geração solar e eólica. No estudo, o Diretor Geral da IRENA destacou que estes dois fatores são os principais impulsionadores descritos, podendo atuar em mais de 90% das reduções necessárias de emissão de CO2 relacionadas à energia.

O estudo realizado pela IRENA desenha um cenário em que as energias renováveis são responsáveis por dois terços do consumo final total de energia, com um crescimento deste tipo de energia no setor de 25%, em 2017, para 85%, até 2050, principalmente através do maior desenvolvimento da geração de energia solar fotovoltaica e eólica.

O relatório apresenta eficiência energética em edificações, veículos e indústria como fatores-chave para aumentar a demanda mundial por energia limpa, além disso, uma geração de energia elétrica renovável, fornecida por meio de smart grids (redes inteligentes), também seria um impulso importante para difundir e viabilizar a fonte.

A IRENA também concluiu que 30% a mais de investimentos em energia limpa e eficiência energética até 2050 são capazes de criar mais de 19 milhões de empregos na área, sendo assim, existiria um saldo positivo de 11,6 milhões de novos empregos em energia renovável, eficiência energética e melhoria da rede energética.

De acordo com o Diretor da Agência Internacional de Energias Renováveis, é hora de aproveitar e mudar a geração de energia, passando de escassez, desigualdade e competição para a prosperidade compartilhada. Para isso, é necessário adotar políticas fortes, mobilizar capitais e impulsionar a inovação em todo o sistema energético.

Os dados mostram que no final de 2017, a capacidade de geração renovável global aumentou em 167 GW e atingiu 2.179 GW em todo o mundo, um crescimento anual de 8,3%. As energias renováveis são favoráveis em relação ao compromisso ambiental, além de serem economicamente viáveis, pois se configuram como uma tecnologia segura, confiável, acessível e disponível de forma abundante.

O coordenador do programa de Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil destaca que os custos das energias renováveis modernas estão em queda, enquanto que os do petróleo estão em ascensão. Segundo ele, o mundo está cada vez mais atento e preocupado em relação aos gases de efeito estufa lançados na atmosfera e seus impactos no aquecimento global. Os responsáveis pelo relatório afirmam que é possível fornecer energia a todos, sem colocar nosso planeta em risco.

Fonte: Terra