Fórum Sucroenergético se reúne com ministros e pede maior uso da bioeletricidade

50

Representantes do Fórum Nacional Sucroenergético estiveram nesta semana em Brasília para apresentar os pleitos do segmento a ministros do governo interino de Michel Temer. O presidente da entidade, André Rocha, informou que já foram discutidas formas para impulsionar a cogeração de energia a partir do bagaço de cana-de-açúcar no País. “Já começamos a tratar da questão da bioeletricidade. Queremos aumentar a participação, de modo a ajudar o setor a sair da crise e contribuir com uma fonte renovável”, comentou. “Hoje, todas as usinas são autossuficientes, mas apenas 40% exportam energia (para a rede)”, acrescentou.

De acordo com Rocha, a receptividade por parte dos ministros foi “muito boa”. As reuniões se deram com Fernando Coelho Filho (Minas e Energia), Marcos Pereira (Indústria, Comércio Exterior e Serviços), Bruno Araújo (Cidades) e Gilberto Kassab (Comunicações/Ciência, Tecnologia e Inovação). Conforme o presidente do fórum, a expectativa é de se reunir também com os chefes da Fazenda, Henrique Meirelles, e da Agricultura, Blairo Maggi, assim como senadores e deputados.

Rocha destacou ainda que foram apresentadas demandas em torno da competitividade do etanol ante a gasolina, o que envolve o aumento da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre o combustível fóssil e a prorrogação do PIS/Cofins, que vence em dezembro. Este último refere-se a um crédito presumido que equivale a zerar a alíquota incidente sobre o etanol. A compensação tributária, com corte de R$ 0,12 por litro de álcool, foi tomada em 2013.