Governo avalia mais uma usina hidrelétrica em Mato Grosso

42
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O governo federal pode liberar mais uma usina hidrelétrica no Estado, nos próximos anos. O aproveitamento Escondido, já consta no acompanhamento de obras do Programa de Aceleração do Crescimento em estágio de ação preparatória, que pode sair do papel. Ele envolve municípios como Juara, Nova Bandeirantes, Juruena e Cotriguaçu. O valor de investimento previsto ainda não divulgado em razão da possibilidade de uso do Regime Diferenciado de Contratação – RDC.

O governo disponibiliza poucas informações à respeito da intenção. No entanto, a Empresa de Pesquisa Energética, ligada ao Ministério de Minas e Energia, já apontou em publicações que e estudo de ainda não possui Registro Ativo na Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), pois a provável área, não revelada, também necessita ser desafetada para possibilitar o início dos trabalhos. O governo federal pretende leiloar mais uma usina hidrelétrica na divisa entre Mato Grosso e Amazonas, nos próximos anos também.

O aproveitamento Sumaúma, no rio Aripuanã, já consta no acompanhamento de obras do PAC, devendo gerar 458,2 MW. A Superintendência de Gestão e Estudos Hidroenergéticos já prorrogou  para agosto de 2016 a entrega dos estudos de viabilidade, solicitado pelas empresas Endesa Brasil S.A. e Centrais Elétricas do Norte do Brasil – Eletronorte. Conforme Só Notícias já informou, o governo também já tem outros projetos hidrelétricos sendo analisados, para 2022. Um deles é a suína Salto Augusto Baixo, com potência prevista de 1.461 MW, no rio Juruena, entre Apiacás, Cotriguaçu, Nova Bandeirantes e Apuí (AM). Já a outra é São Simão Alto, no mesmo traçado, mas com potência de 3.509 MW.