Hoteleiros discutem aplicação de energias renováveis no setor

60

As dificuldades impostas pela recente crise econômica no Brasil têm despertado na indústria hoteleira a importância para a contenção de gastos, mas não apenas para o serviço de pessoal, e sim, para os custos mensais de energia. E foi para discutir sua aplicabilidade que a Associação Brasileira da Indústria Hoteleira – seccional Bahia (ABIH-BA) realizou, nesta última quarta-feira (1), um café da manhã com empresários para ouvir e discutir com representantes das companhias que trabalham com geração de energias renováveis.

De acordo com o presidente da ABIH-BA, Glicério Lemos, o encontro proporcionou que os empresários do setor hoteleiro baiano pudessem clarear suas ideias em relação às energias renováveis, e porque são tão importantes neste momento. “É preciso que o empresário foque numa iniciativa que te garanta não apenas o ganho de caixa, mas também do cliente. E todos estão procurando, neste momento, entrar nesse alinhamento ecologicamente correto.”

Para tornar mais claras as perspectivas de geração de energia renovável, a associação convidou a especialista em gestão e acompanhamentos de projetos socioambientais, Renata Milton, que fez uma palestra sobre o tema. Na ocasião, a especialista, que é gerente de vendas da Windeo Brasil – empresa voltada para a microgeração de energias renováveis –, também apresentou as possibilidades de instalação desses sistemas nos estabelecimentos de hospedagem.

Entre as formas de geração de energia,está o projeto de implantação de energia solar fotovoltaica – onde é possível transformar a radiação solar em energia elétrica através de painéis de silício com esta capacidade – que tem uma durabilidade mínima de 25 anos, podendo chegar aos 40. “É uma forma de hotel se planejar financeiramente, contribuindo com a sustentabilidade e energias mais verdes, mas também fazendo um investimento com retorno  que pode vir entre cinco a oito anos.”

Outra vantagem do projeto é que, graças a uma recém-autorizada resolução normativa de micro geração distribuída da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), é possível que os empresários que não podem instalar os painéis em seu empreendimento se unam em um único investimento para a construção de um parque solar que atenderia a todos os estabelecimentos envolvidos.
“A urgência de implantar um projeto desse é muito grande, porque se tem uma perspectiva de aumento drástico de energia nos próximos anos. Quanto antes os hotéis se adiantarem, melhor, pois se tem o retorno do investimento mais cedo”, destacou Renata Milton.

A ABIH-BA tem buscado parceiros que possam facilitar a implantação de sistemas para a geração de energias renováveis, conseguindo inclusive o apoio do Banco do Nordeste (BNB) para o financiamento. “Estamos vivendo um momento delicado, não apenas por uma crise nacional, mas por deficiências que tem dificultado a atividade hoteleira aqui mesmo na Bahia, com uma grande onda de demissões e ausência de um Centro de Convenções, mas é preciso buscar inovações para sobreviver e driblar a crise.”