Indústria aprova indicação de Pedro Parente para a Petrobras

41

O nome de Pedro Parente para o comando da Petrobrás está sendo comemorado pelo mercado, que vê no executivo um perfil qualificado para fortalecer a estatal e ajudá-la a retomar a imagem de força e liderança no País, com a volta dos investimentos e dos projetos que se encontram paralisados. Um dos maiores desafios é o equacionamento da dívida e a conciliação com os aportes necessários para o avanço das operações, mas a impressão do mercado em geral, indicada por diversos representantes do setor de óleo e gás brasileiro é a de que ele reúne as qualidades necessárias para liderar esse processo.

O passado à frente de cargos importantes no governo Fernando Henrique Cardoso, quando passou pelos ministérios da Casa Civil, do Planejamento e de Minas e Energia, atuando diretamente – e com sucesso – no gerenciamento da crise do racionamento de energia, em 2001, foram lembrados e respaldaram ainda mais sua força para atuar à frente da Petrobrás, que passa pela pior crise de sua história, com uma dívida avaliada em cerca de R$ 450 bilhões e uma extensa paralisação de projetos.