quarta-feira, Maio 22, 2019
Fontes Energéticas Missão técnica com destino à Austrália

Missão técnica com destino à Austrália

209
Brasileiros trocaram experiências sobre o cultivo e a mecanização de cana-de-açúcar com os australianos

Profissionais ligados ao setor sucroenergético brasileiro formaram um grupo que trocou experiências e acessou novas tecnologias junto aos produtores de cana-de-açúcar australianos

Um grupo brasileiro voltado ao agronegócio e ao setor sucroenergético, formado por profissionais de usinas de açúcar e álcool, de multinacional de tecnologias para o manejo e
pragas e de uma conceituada Universidade geradora de pesquisas, realizou uma viagem técnica com destino à Austrália.

Recepção e boas-vindas em Sydney

O objetivo da viagem foi conhecer o setor sucroenergético daquele país, que se destaca por suas particularidades e pela tecnologia aplicada na produção e logística da cana-de-açúcar.

Uma excelente oportunidade para um benchmarking de conhecimento, relacionamento com uma diferente geografia e cultura profissional no agro, além de integrar profissionais brasileiros que muitas vezes não têm a oportunidade de se relacionarem no Brasil, ao longo do ano. A viagem proporcionou oportunidades de troca de conhecimento e de experiências
profissionais.

Usina em Mackay

Organizada por uma agência especializada em viagens técnicas para o agronegócio e atuante no mercado brasileiro há mais de 17 anos, a comitiva teve como coordenador o engenheiro agrônomo José Renato Donadon, que já acompanhou outros grupos para este mesmo destino.

Canaviais da terra do canguru
Os participantes da comitiva vivenciaram uma programação de alto valor agregado, compartilhando experiências e acessando tecnologias adaptadas para o ambiente canavieiro daquele país, além de conhecer maquinários e aprender com manejos diferenciados e adaptados às condições locais. “Nosso objetivo foi validar o que bem fazemos por aqui ou até trazer novos conhecimentos para melhorar o setor por aqui”, diz Donadon.

Foi uma excelente oportunidade para benchmarking de conhecimento e relacionamento com profissionais que atuam em uma diferente geografia e cultura profissional no agro em comparação com a realidade que se tem no Brasil.

“Além de integrar pessoas do nosso país, participar da comitiva possibilitou a oportunidade de os integrantes se relacionarem e trocarem experiências profissionais”, comenta Donadon, que finaliza: “Agora é aguardar com expectativa a programação de uma nova missão técnica para a Austrália em 2020, que traz sempre algo diferenciado no programa que possa criar atratividade, mesmo para quem já experimentou esta oportunidade.”

Esta matéria foi veiculada na 34º edição da revista Full Energy.