Petrobrás já escolheu as empresas que vão fazer a manutenção de suas plataformas no lugar da UTC

146

A Petrobrás agiu rápido e já escolheu as empresas que vão substituir a UTC no trabalho de manutenção de plataformas da Bacia de Campos. Saíram vencedoras as empresas G&E, a OEngenharia, do Grupo Vinci, e a CSE, que teve 70 % da empresa comprada pela Aker Solutions. O que estava somente com a UTC, foi dividido em quatro Lotes. Mas tem ficado em primeiro lugar, não significa ter vencido a licitação, porque a partir de agora, como de praxe, serão abertas negociações em busca de descontos.

Em julho, depois de reter mais de R$ 20 milhões pelos serviços de manutenção realizados em suas plataformas, a Petrobrás afastou a UTC dos serviços nas plataformas P-18, P-19, P-20, P-26, P-33, P-35, P-37, P-50, P-52, P-54, P-55 e P-62. Todos funcionários da empresa foram desembarcados e, ficando apenas 15 trabalhadores em cada plataforma para supervisionar o encerramento dos serviços. Os demais foram demitidos. E pode surgir uma chance de serem admitidos pelas novas empresas, pela experiência que adquiriram. A estatal manteve a atitude de não pagamento e ainda informou que “adotaria medidas administrativas e judiciais cabíveis”. Uma semana depois, a UTC Participações entrou com pedido de recuperação judicial na 2.ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais, em São Paulo, devido a uma dívida de R$ 3,4 bilhões.  O rompimento do contrato das plataformas foi a gota d’água que faltava para a empresa fazer o pedido de recuperação.