Petróleo sobe, favorecido por queda nos estoques dos EUA

58

Os futuros de petróleo operam em alta nesta manhã, mantendo a tendência vista desde a madrugada, impulsionados por dados favoráveis sobre os estoques dos EUA e na expectativa para o plebiscito que definirá a permanência ou não do Reino Unido na União Europeia, marcado para amanhã.

No fim da tarde de ontem, a associação de refinarias conhecida como American Petroleum Institute (API) estimou que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA teve expressiva queda na semana passada, de 5,2 milhões de barris. Às 11h30 (de Brasília), será divulgada a pesquisa oficial, do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano. Analistas consultados pela Dow Jones Newswires preveem que o DoE apontará recuo de 1,6 milhão de barris nos estoques de petróleo bruto dos EUA na última semana.

“Os dados do API sustentam os preços do petróleo e aumentam a volatilidade antes dos dados oficiais (do DoE)”, comentou Michael Poulsen, analista de petróleo da Global Risk Management.

Economistas do Barclays dizem que embora as cotações do petróleo tenham sido sustentadas nos últimos tempos por uma série de cortes de produção ao redor do mundo e pela forte demanda da China, a situação de risco da commodity não foi superada, devido ao crescimento global frágil e aos ainda elevados níveis de estoques.

No curto prazo, os investidores ficarão de olho no plebiscito do Reino Unido, que nesta quinta-feira decidirá se continua ou não integrando a UE. A maioria das pesquisas recentes indica a permanência dos britânicos no bloco europeu, mas espera-se uma disputa acirrada.

Às 7h23 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para agosto subia 0,89% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 51,07 por barril, enquanto o WTI para o mesmo mês avançava 1,06% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 50,38 por barril.