Pré-sal é um terço de toda a produção nacional de petróleo em janeiro

76

A produção de petróleo dos reservatórios do pré-sal  em janeiro correspondeu a 33,9% da produção nacional, com 823 mil barris por dia (Mbbl/d), obtida a partir de 53 poços. Esse volume foi 22,8% superior ao mês de janeiro de 2015, segundo dados do Boletim de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural, elaborado mensalmente pelo Ministério de Minas e Energia.

O Campo de Lula foi o  maior  produtor  no  pré-sal, com a média de 404,68 Mbbl/d, seguido por Sapinhoá, com a média de 206,08 Mbbl/d.

O boletim destaca que seis Notificações de Descobertas foram comunicadas à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em janeiro de 2016, sendo uma em mar (Bacia de Santos), com indícios de petróleo, em campo operado pela Petrobras.  Das notificações em terra, apenas uma foi com indícios de gás, na Bacia do Parnaíba, em campo da empresa Parnaíba Gás Natural.

Considerando a produção total de petróleo, o boletim aponta que em janeiro de 2016 foram produzidos 2,35 milhões de barris por dia (MMbbl/d), queda de 7,1% ante dezembro. Já a produção de gás natural registrou média diária de 97,20 MMm³/d, queda de 3,2% em relação ao mesmo mês de 2015.  A produção total de petróleo e gás natural no Brasil foi de 2,97 milhões de barris de óleo equivalente por dia (MMboe/d).

A produção de petróleo e gás natural em bacias maduras terrestres cresceu 22,9% em janeiro deste ano, ante o mês anterior, que foi de 162,2 mil barris de óleo equivalente por dia (Mboe/d). Esse aumento na produção nessas bacias foi influenciado pela elevação da produção de gás natural, com crescimento de 4,25%, com 4,9 milhões de metros cúbicos por dia (MMm³/d) de gás natural em janeiro, contra de 4,7 MMm³/d no mês anterior.

Os campos marítimos foram responsáveis pela produção de 93,3% do petróleo e 75,8% do gás natural do total nacional em janeiro de 2016.  A produção total foi obtida a partir de 8.886 poços, sendo 785 marítimos e 8.101 terrestres.