Proposta de nova política nuclear para o país

265

O ano de 2018 pode trazer boas novidades para o setor nuclear brasileiro, depois da decisão do governo de criar um grupo de trabalho que irá propor uma nova Política Nuclear do país. A expectativa é de que saia daí um modelo que privilegie a participação da iniciativa privada concluindo a usina de Angra 3 e construindo novas centrais nucleares. O grupo terá cinco meses para desenvolver a estratégia que guiará o setor daqui para frente. Existe ainda a possibilidade de que os trabalhos da equipe sejam prorrogados por mais três meses, caso haja necessidade.

Os olhos de todo o setor elétrico estarão voltados para o progresso deste grupo de trabalho, já que é notoriamente conhecida a condição hidrológica do país, com os recursos altamente comprometidos. Por isso, é de extrema importância que o Brasil invista em uma fonte de geração firme, como é o caso da nuclear. Um dos modelos mais bem vistos pelo setor privado prevê que as empresas venderiam a energia, enquanto que a Eletronuclear ficaria com a operação das usinas.

O grupo de trabalho será composto por representantes de diversos órgãos e entidades governamentais, como Ministério de Minas e Energia, Amazul, Nuclep, Comissão Nacional de Energia Nuclear, Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo, entre outros. O grupo técnico será coordenado por representante do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

O governo também criou outro grupo técnico para analisar a conveniência da flexibilização do monopólio da União na pesquisa e na lavra de minérios nucleares.

 

Fonte: Petronotícias