Subestação Mauá 3 é ampliada e robustece fornecimento elétrico da Região Norte

139
Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

A segurança de atendimento ao Amazonas recebeu mais um reforço, com a entrada em operação no Sistema Interligado Nacional (SIN) de mais um transformador na subestação Mauá 3, da Amazonas Geração e Transmissão, na noite de domingo (14/02). A integração deste transformador reduz a necessidade de geração térmica no subsistema Mauá para atendimento do critério de desligamento de um dos transformadores dessa subestação, trazendo mais segurança ao fornecimento de energia na região.

Diversas outras ações estão em curso para aumentar o atendimento eletroenergético de Manaus e Região Metropolitana e fortalecê-lo,  como a entrada em operação da Usina Termelétrica Mauá 3, da Eletrobras Amazonas Geração e Transmissão, prevista para outubro deste ano.  A usina terá capacidade máxima de 570,40 MW de potência líquida.

Com a entrada em operação de suas duas primeiras máquinas, previstas para o segundo semestre de 2016, a UTE Mauá 3 será a maior e mais moderna usina termelétrica de energia a ser construída para operar com 100% de gás natural na região Norte do Brasil, proveniente da bacia petrolífera de Urucu, localizada no município de Coari (AM).

Os benefícios dessa usina são tanto ambientais como econômicos, além do aumento na confiabilidade do fornecimento elétrico da região. O gás natural, combustível produzido no estado do Amazonas, é muito menos poluente que os combustíveis líquidos atualmente utilizados em outras usinas térmicas da região, e será o combustível utilizado nessa usina, de última geração e de maior eficiência, com rendimento térmico de 56,24%. Além disso, uma vez conectada ao Sistema Interligado Nacional, a nova usina garantirá maior estabilidade e confiabilidade ao sistema elétrico da Região Norte.

O aproveitamento do gás natural na mesma região da usina traz um ganho de eficiência, além de ser fator positivo para a economia da Região Norte, com a exploração do gás na região, gerando empregos e renda, movimentando a economia e provendo os amazonenses de energia mais barata e segura.

Usina tem tecnologia moderna        

A UTE Mauá 3 foi configurada para operar em regime de ciclo combinado (gerando energia com a queima do gás natural e depois aproveitando o vapor gerado nessa queima para gerar mais energia), utilizando da forma mais eficiente o volume máximo de 2.500.000 m³/dia de gás natural. Essa é uma tecnologia moderna, que aumenta a eficiência da usina e também minimiza os danos ambientais potenciais.

Mauá 3 será composta por três unidades geradoras. Duas delas consumirão gás natural e a terceira funcionará com vapor superaquecido produzido dos gases desse processo, sem queima de combustível adicional. Ao invés de os gases serem jogados na atmosfera, eles seguirão para dentro de uma caldeira de recuperação para transformar a água em vapor superaquecido, fazendo funcionar a terceira unidade geradora com 208 MW, sem a necessidade de queima de mais gás natural.  A combinação de potências geradas pelas turbinas a gás natural e pela turbina de vapor produzirá a capacidade máxima de 570,40 MW de potência líquida.