Vinhaça é opção viável para produção de energia limpa

309

Para diminuir os impactos causados por esse tipo de descarte, especialistas decidiram realizar estudos sobre o assunto com o objetivo de descobrir caminhos alternativos de descarte em prol do meio ambiente.

Como um dos objetos de estudo, especialistas resolveram analisar o processo da vinhaça, o principal resíduo da produção de etanol de cana-de-açúcar e que gera em torno 250 milhões de m² de vinhaça por safra.

Uma das alternativas encontradas pelos estudiosos e que já vem sendo utilizada durante a produção do resíduo é a utilização do mesmo para fertilizar os canaviais onde a cana é produzida. Por conter potássio e outros nutrientes, a alternativa ajuda a incrementar a produção por hectare e também reduz a utilização de outros fertilizantes.

Porém como nem tudo são flores, os especialistas descobriram que essa técnica pode sanilizar o solo e prejudicar os aquíferos. Diante dessa situação da companhia de saneamento do estado de São Paulo criou uma norma que estabelece de que maneira esse processo deve ocorrer.

Outra alternativa vista pelos especialistas é a incineração da vinhaça, onde além de diminuir o volume e os problemas causados no transporte, a sua grande carga orgânica pode favorecer a produção de energia térmica e elétrica. A boa noticia é que a produção de energia através deste tipo de resíduo contribui para a diminuição de CO2 na atmosfera e também diminui a utilização de tantos litros de diesel com o transporte.

Vista como uma boa oportunidade de gerar energia limpa, a vinhaça pode ser uma alternativa bastante interessante para a questão energética brasileira, a qual precisa diminuir sua dependência dos combustíveis fósseis.