Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: “Estamos presenciando uma potência exportadora de energias verdes se apropriar do seu potencial e desenvolvê-lo”

Ganhador do 100 Mais Influentes da Energia na categoria Referência, Ministro fala sobre o cenário atual e futuro do setor

Ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite acredita que as questões ambientais, de crescimento verde e de mudança do clima possibilitaram uma visão e atuação amplas para a pasta.

“Tive a habilidade de identificar e fortalecer dois grandes e importantes temas ambientais e que estão estritamente relacionados ao setor energético. Primeiro, o potencial enorme que o Brasil tem para aproveitar a fonte limpa, renovável e inesgotável de biogás e biometano e, por isso, lançamos o Programa Metano Zero. Segundo, a questão do potencial brasileiro para ser uma peça chave no cenário mundial através da produção e exportação de energias e combustíveis verdes, como Hidrogênio Verde e todos seus derivados, oriundos das nossas diversas opções de fonte energética”, afirma.

Leite também ressalta que, nesse último ano, se dedicou “no engajamento de seus colegas ministros e do governo como um todo para o gigante potencial que eólicas offshore representam para o país em termos de exportação energética”.

Para o futuro, Leite acredita em um crescimento exponencial das fontes limpas e renováveis no Brasil, construindo o caminho para aumentar essa disponibilidade e deixando-as mais acessíveis e competitivas internamente.

“Tudo isso enquanto alcançamos grandes volumes de disponibilidade excedente para exportação, sendo a escolha mais acertada para alocação de investimentos e atuando como grande fornecedor de soluções climáticas lucrativas.”

Para o chefe da pasta, o Brasil é a escolha certa para investimentos em energias limpas e renováveis, tanto pelo custo de oportunidade que oferece, como pela junção de atributos ambientais e climáticos.

“Estamos presenciando uma potência exportadora de energias verdes se apropriar do seu potencial e desenvolvê-lo.”

Sobre estar entre os 100+, Leite considera que esse reconhecimento seja uma demonstração de que “meio ambiente, economia e energia andam de mãos dadas e que ambientalismo sério se faz através de uma visão racional e pragmática. É uma satisfação observar que esta linha de atuação que adoto está sendo reconhecida na energia, enquanto está gerando melhoras efetivas na qualidade ambiental.”

Confira essa e mais matérias exclusivas na Edição 42 da revista Full Energy

 

Próximo Post

ENERGY DAY

Nenhum evento encontrado!

Últimas Notícias