Brasil atinge marco histórico de 1 milhão de usinas solares

Levantamento destaca que mais de 1,26 milhão de consumidores já contam com energia renovável

O Brasil acaba de atingir o marco histórico de 1 milhão de pequenas usinas de energia solar instaladas em telhados, fachadas e terrenos. O levantamento, realizado pelo Meu Financiamento Solar com base em dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), revela que 77,7% das placas fotovoltaicas estão em residências, 12,3% em comércios e 7,7% no setor rural.

A alta na conta de luz impulsiona a população brasileira a buscar formas de economizar energia elétrica. Neste ano, os reajustes realizados pela Aneel chegaram a quase 25%, reduzindo ou até anulando o efeito da mudança para a bandeira verde. Segundo o IPCA de abril (IBGE), a tarifa residencial no país acumula inflação de 20,52% nos últimos 12 meses.

A geração distribuída é recente no Brasil: o primeiro sistema foi instalado em 2008 e, atualmente, são mais de 10,6 gigawatts em painéis solares em operação em telhados de casas, empresas, indústrias e terrenos rurais que abrangem mais de 1,2 milhões de consumidores beneficiados.

“Como toda nova tecnologia, as pessoas ainda questionam os benefícios de investir R$ 30 mil na compra de painéis solares. Porém, hoje os clientes podem tomar crédito e financiar o pagamento em até 7 anos”, explica Carolina Reis, diretora comercial do MFS. “Após esse período os clientes terão energia limpa e de graça por mais de 20 anos. Considerando uma conta de R$ 400, estamos falando de uma economia que pode chegar a quase R$ 100 mil no período”, completa.

As vantagens desse recurso energético são muitas, sendo as principais: autonomia energética, segurança no abastecimento elétrico, valorização do imóvel, manutenção simples, economia na conta de energia elétrica e geração de energia limpa, contribuindo para a preservação do meio ambiente e redução de gases de efeito estufa. “Pensando em benefícios sociais e ambientais, a energia solar é uma ferramenta para combater a desigualdade ao acesso à energia elétrica, às mudanças climáticas e gerar empregos de qualidade”, destaca Reis.

 

Número de sistemas por classe de consumo:

1º – Residencial: 777,2 mil

2º – Comercial: 123,6 mil

3º – Rural: 77,1 mil

4º – Industrial: 18,7 mil

5º – Poder Público: 2,8 mil

Número de sistemas por estado:

1º – São Paulo: 163,5 mil

2º – Minas Gerais: 158,3 mil

3º – Rio Grande do Sul: 134,3 mil

4º – Mato Grosso: 51,9 mil

5º – Rio de Janeiro: 50,7 mil

 

Leia Mais:

Por que Minas Gerais é o maior produtor de energia solar do Brasil?

BNDES e Solfácil se unem para levar energia solar a região norte do Brasil

 

Próximo Post

ENERGY DAY

Nenhum evento encontrado!

Últimas Notícias