Diogo Mussoi, da Tabapower: “Não somos apenas vendedores de equipamentos, somos vendedores de soluções”

Mussoi fala sobre o impacto da pandemia nos negócios e os cases de sucesso da empresa

A missão foi ousada: abrir espaço e se consolidar em um mercado tão desafiador, restrito e competitivo como é o de geração de energia e fabricação de equipamentos para o segmento de PCH´s e CGH´s. Mas a tarefa foi cumprida e, há 15 anos, a Tabapower vêm conquistando seu lugar em meio a outros players de renome internacional.

Especializada no fornecimento de equipamentos e reformas para PCH´s e CGH´s, a Tabapower está presente em todo o território nacional. “Identificada a demanda, sendo para venda de equipamentos, manutenções, reformas, retrofit ou avaliações, deslocamos nosso time técnico para a elaboração de propostas e laudos”, explica Diogo Mussoi, diretor comercial da Tabapower.

Hoje, a Tabapower atende importantes players como Copel e Cemig. “Temos a primeira usina conectada em pingo na área da Copel. Somos pioneiros também na geração distribuída no Brasil”, orgulha-se Mussoi.

Mas durante esses 15 anos a Tabapower entregou diversos projetos. Segundo o diretor, foram entregues mais de 50 equipamentos novos e também o início das atividades no mercado de licitações, sendo fornecedor para o setor público.

“Outra importante conquista que marcou a nossa história foi a certificação de Fornecedor Nível ouro da Copel em 2020. Um título alcançado com muito trabalho e dedicação”, ressalta Mussoi.

Investimentos

Uma das principais atividades da Tabapower, hoje, é no controle e na automação de usinas para que essas sejam telecomandadas. Por isso, há uma constante revisão e atualização de softwares e hardwares, além de treinamentos da equipe de desenvolvimento.

Diogo Mussoi, diretor comercial da Tabapower.

Outra frente da empresa está relacionada aos rotores das turbinas, componente esse que responde por aproximadamente 95% do rendimento de uma turbina.

“Sempre buscamos o máximo de tecnologia e inovação, utilizando os mais avançados modelos computacionais e atuando diretamente com os nossos projetistas hidráulicos para obtermos o melhor perfil possível”, diz o diretor da empresa.

Ainda de acordo com Mussoi, apesar das grandes mudanças regulatórias do setor elétrico brasileiro nesse ano, “esperamos recuperar os resultados de 2020 que ficaram represados por causa da pandemia, fechando 2021 com um crescimento elevado.”

A Tabapower também sofreu problemas em obras externas devido à pandemia da Covid-19. “O maior impacto foi principalmente nas obras próprias, onde as restrições sanitárias, infelizmente, impactaram no andamento.”

Mas, agora, nesse período pós pandemia, as negociações comerciais retomaram a todo vapor segundo Mussoi.

“Porém, estamos tendo uma crise de desabastecimento e elevado preço de matéria-prima. Isso está atingindo não somente a Tabapower, mas a indústria de uma forma geral”, ressalta.

Mesmo com tantos desafios pela frente, a empresa mantém sua missão de se ser tornar, cada vez mais, uma empresa sólida e reconhecida. “O objetivo é crescer de forma sustentável em conjunto com esse desafiador mercado de energia brasileiro”, finaliza o diretor da Tabapower.

Sustentabilidade

Quando questionado sobre sustentabilidade, Mussoi defende: “Nosso segmento não é o ‘bicho papão’ que alguns setores da mídia promovem.”

Para o executivo, muitos “demonizam” os fabricantes de equipamentos do setor hidrelétrico, acusando esses players de depredar o meio ambiente, uma vez que esses equipamentos são instalados nas beiras de rios e cachoeiras.

“Quem vive sem energia hoje em dia? Com certeza, nós somos os maiores interessados em preservar os rios, nascentes e matas ciliares, pois é daí que sai o nosso sustento. Trabalhamos para que o negócio seja sustentável, gere empregos e impostos”, pontua Mussoi.

 

LEIA MAIS:

  • “Geramos e vendemos uma solução tratando o cliente como um projeto da nossa empresa”, afirma diretor da TabaPower – clique aqui.

 

Próximo Post

ENERGY DAY

Nenhum evento encontrado!

Últimas Notícias