SolarVolt explica as diferenças do mercado cativo e mercado livre de energia

Para companhia distinções dos mercados estão ligadas a negociações, preço e volume contratado

Hoje, o setor elétrico brasileiro se divide em dois grandes ambientes de contratação para a compra e venda de energia: o mercado cativo e o mercado livre. Frente a isso e aos altos reajustes na conta de luz, a SolarVolt  elencou as principais diferenças entre os modelos e as possibilidades de negociação de cada um deles para os consumidores.

O mercado cativo ou Ambiente de Contratação Regulada (ACR) é o mais comum e mais usado pela maioria dos consumidores. O modelo é destinado a residências ou empresas com demanda abaixo de 500 kW por mês, que adquirem energia através da distribuidora local, com tarifas pré-estabelecidas e sem a possibilidade de negociar fornecedores ou valores.

Já no mercado livre os consumidores têm a liberdade de negociar o volume, preços, prazos e o tipo de fonte de energia a ser contratada diretamente com geradores e comercializadores, encontrando tarifas mais competitivas. A modalidade é destinada para consumidores com cargas elevadas, acima de 500 kW mensais.

Além dessas duas modalidades tradicionais, a SolarVolt aponta que ainda existe outra possibilidade para os consumidores que querem fugir dos altos preços do sistema, que é a geração própria de energia. De acordo com a companhia, investir na construção do seu próprio sistema solar pode proporcionar até 90% de desconto na conta de luz e ser uma segunda fonte de renda com a venda de parte da sua produção para terceiros.

Leia Mais:

O mercado livre de energia e os novos desafios da era digital

Grupo Safira lança plataforma no mercado livre de energia

 

 

Próximo Post

Most Popular