Usina Hidrelétrica Porto Colômbia, de Furnas, será modernizada pela Voith

Pprojeto vai assegurar o aumento de confiabilidade à usina, garantido geração de energia renovável

Voith Hydro e Furnas assinaram, neste mês, contrato para modernização da Usina Hidrelétrica de Porto Colômbia, localizada no Rio Grande, na divisa entre os estados de São Paulo e Minas Gerais, sendo este o primeiro contrato de grande porte de Furnas após a privatização.

A modernização vai desde a tomada d’água até a sucção, com revisão das comportas e seus sistemas de acionamento, vertedouro, hidromecânicos, substituição dos sistemas auxiliares mecânicos e elétricos, reforma completa das quatro turbinas Kaplan, reforma da ponte rolante, quatro geradores, além de digitalização dos sistemas de medição, proteção, controle, supervisão e regulação da usina, visando garantir o aumento do fator de capacidade do sistema Furnas que abastece o Sistema Interligado Nacional (SIN).

A usina, que começou a ser construída em 1970 e entrou em operação em 1973, possui capacidade instalada de 320 MW. A barragem de Porto Colômbia forma um lago de 143 km².

Ricardo Lee, Diretor de Modernizações da Voith Hydro América Latina afirma que a Voith é especialista em modernização de usinas hidrelétricas no mundo, principalmente no Brasil.

“A Voith possui grandes diferenciais neste mercado, somos a única empresa do segmento de geração de energia renovável com equipe de engenharia completa e fábricas no Brasil, além do avanço em soluções e tecnologias para o setor”.

“Com os avanços nas tecnologias aplicadas às usinas hidrelétricas, poderemos obter melhor desempenho e rendimento aos nossos equipamentos e sistemas. Por isso, priorizamos este investimento. É o primeiro de um plano de modernização que daremos seguimento no Sistema FURNAS”, comenta o diretor de Engenharia da empresa, Sidnei Bispo.

Caio Pompeu, Presidente da Companhia destacou que este é o primeiro investimento anunciado por FURNAS para seus ativos de geração após a capitalização. “É um marco da retomada de crescimento da companhia”, ressalta.

Voith lidera projetos de modernização das usinas no Brasil

A Voith Hydro possui ampla experiência em implementação e modernização de usinas hidrelétricas no Brasil.

De Paulo Afonso II e IV, Xingó I e II e Henry Borden, a Voith tem desenvolvido cada vez mais suas tecnologias na implementação de projetos de modernização, visto que projetos de modernização necessitam de uma gestão diferente de novos projetos hidrelétricos.

No início deste ano a empresa firmou contrato com a subsidiária da Eletrobras para realizar a modernização da Usina Hidrelétrica Paulo Afonso II, na Bahia.

E em 2021, iniciou as obras de modernização da usina Paulo Afonso IV, no mesmo complexo hidrelétrico, a quarta maior usina em potência instalada no Brasil e opera desde 1979.

Em 2017, concluiu a modernização de quatro unidades geradoras de 355 MW da Usina Salto Santiago, no Rio Iguaçu.

Também modernizou as usinas Chavantes e Capivara, na divisa entre os estados de São Paulo e Paraná, no Rio Paranapanema, elevando as capacidades instaladas em 5,7 MW e 15,6 MW, que resultaram em aumento da garantia física média em 3,21% e 4,73%, respectivamente.

A CTG Brasil, que detém a concessão das usinas, também contratou a Voith Hydro para modernizar quatro unidades geradoras das usinas Ilha Solteira e Jupiá no Rio Paraná.

“Renovações como as que estão sendo aplicadas promovem a extensão da vida útil das usinas a partir de ferramentas tecnológicas, melhor controle e regulação, garantindo confiabilidade e segurança operacional. Isso aumenta a confiabilidade do Sistema Interligado Nacional (SIN), responsável por distribuir energia, evitando interrupções para reparos. Com o aumento da potência das máquinas e aumento no range de operação, o SIN contará com mais energia disponível mesmo durante períodos de estiagem”, pontua Andreas Wellmann, Presidente e CEO da Voith Hydro para a América Latina.

Próximo Post

Últimas Notícias