Sol Agora chega ao mercado para democratizar acesso à energia solar

Fintech prevê financiar este ano mais de R$ 200 milhões para aquisição de geradores solares

Com um modelo de negócios estruturado para fazer com que a energia solar chegue de forma mais barata a uma grande quantidade de casas e empresas por todo o Brasil, a Sol Agora iniciou suas operações no país. Parceira da ALDO Solar,a missão da Sol Agora é facilitar a jornada do Integrador e do consumidor para a aquisição de geradores solares por meio de planos acessíveis e flexíveis de parcelamento.

O foco da startup é apoiar famílias, pequenas e médias empresas a investirem nos seus próprios sistemas de geração distribuída (GD), reduzindo os gastos com energia elétrica e contribuindo com o movimento de descarbonização do planeta para torná-lo mais sustentável. As soluções financeiras da Sol Agora foram desenvolvidas para facilitar a disseminação do uso de energia solar de forma digital, simples, rápida e com responsabilidade social e ambiental.

Investida pela Brookfield – uma das maiores gestoras de ativos no mundo, com mais de 120 anos de história no Brasil e cerca de US$ 725 bilhões de ativos em mais 30 países -, a Sol Agora começou sua operação no começo deste ano e tem expectativa de exceder R$ 200 milhões em financiamentos em 2022.

“Somos uma fintech que veio para diferenciar e agregar valor ao ecossistema de transição energética no Brasil, facilitando a descarbonização dos lares. O país alcançou a marca de 1 milhão de casas com geradores solares instalados, mas há ainda um grande atraso no que tange à maturidade do ecossistema de energia solar. Há um espaço enorme no mercado a ser trabalhado”, comenta Antonio Nuno Verças, CEO da companhia.

Soluções financeiras para consumidores e integradores

No Brasil, de acordo com a ABGD, a geração distribuída atinge hoje 11GW no Brasil, equivalente ao atendimento de 16,5 milhões de habitantes. A ABGD calcula ainda que o país deverá atingir a marca de 15 GW ao fim de 2022. Com mais de 1,3 milhão de conexões totais, a geração distribuída nacional está dividida entre as classes de consumo residencial (43,6%), comercial (33,2%), rural (13,9%) e industrial (7,9%).

O ecossistema de GD conta com as empresas de distribuição, que comercializam os geradores solares aos clientes finais, e a figura-chave do integrador, que conecta os distribuidores com os clientes. Esses profissionais oferecem, preparam, apresentam e instalam o equipamento para o cliente final, seja ele uma pessoa física, em sua residência, ou um comerciante com um telhado disponível para instalação.

A Sol Agora atua como a parceira que disponibiliza ao cliente final o acesso ao melhor parcelamento para a aquisição do seu próprio gerador de energia solar. Além disso, a fintech também oferecerá soluções financeiras para os integradores.

“Queremos garantir um processo simples e 100% digital que permita que o cliente contrate o parcelamento e que o integrador consiga seguir de forma rápida com o processo de venda e instalação do sistema. Faremos também a ponte entre o integrador e o distribuidor. Ficaremos responsáveis em entregar ao distribuidor o valor do equipamento e, para o integrador, o do serviço. Além disso, vamos dar foco no monitoramento dos equipamentos instalados e financiados por nós para garantir uma comunicação contínua sobre o uso mais eficiente da energia gerada”, detalha Verças.

 

 

 

 

Próximo Post

ENERGY DAY

Nenhum evento encontrado!

Últimas Notícias